sexta-feira, maio 20, 2011

Sexta-feira rima com rock #5 – Banda Soundgarden

Hoje decidi falar da banda Soundgarden, pois considero os caras um dos melhores rockeiros que já passaram por seattle, isso sem falar de Jimi Hendrix (do post anterior lembra?).

Os caras foram inovadores, e receberam grandes influências da banda Black Sabbath, mesmo assim conseguiram manter uma identidade própria, com muita personalidade.


Muitas pessoas dizem "Felipe você é louco!! Soundgarden é um grunge, ninguém gosta de grunge.." eu discordo meus amigos... Eu particularmente sou fã dos caras e acho que de grunge o Soundgarden tem muito pouco, prefiro dizer que eles são o Heavy Metal do século 21.

Sei que venho falando muito das bandas de Seattle ultimamente, relaxem, logo eu troco de cidade, é que uma coisa vocês precisam entender: Como vou falar da história do rock sem citar a cidade mais Rock and Roll que eu conheço (nunca fui, mas conheço)?

Apesar de ser uma das principais bandas do movimento grunge (eu discordo, mas vou fazer o que?) e, assim como o Pearl Jam e o Nirvana, ter nascido em Seattle, os membros fundadores do Soundgarden não são de lá. Kim Thayil (guitarrista), Hiro Yamamoto (baixista) e Bruce Pavitt eram amigos em Illinois, e, em 1981, resolveram se mudar para Olympia para tentar se matricular em alguma universidade. Logo depois se mudaram para Seattle, digamos assim que eles foram atraídos pela cena musical dessa cidade (Thayil conhecia a cidade, ele tinha morado lá quando criança). Thayil e Hiro formaram algumas bandas, entre elas o Shemps, ao lado do guitarrista Matt Dentino. Depois de algum tempo, Hiro participou de outra banda que tinha como baterista o jovem Chris Cornell. Cornell sempre foi baterista, apesar de desde sempre cantar com a sua voz inconfúndivel na cozinha de sua casa em Melrose Avenue East, Seattle. Thayil se juntou a eles em 1984 e nomearam a banda de Soundgarden. Cornell passou a ser o vocalista da banda e Scott Sundquist ocupou a bateria por cerca de um ano. Bruce não seguiu os passos de seus amigos: ele fundou um fanzine que tempos depois iria se tornar o selo alternativo: Sub-Pop.

Nos primeiros anos da banda, como de costume, eles tocaram pra fazer o nome da banda nos clubes de Seattle. Chegaram a tocar algumas vezes com Husker Du e Melvins. A cena grunge estava começando a se formar, e o Soundgarden estava vivendo e ajudando a criar esse momento. O som da banda não era, e nunca foi muito bem definido: era uma mistura de heavy metal com um som mais alternativo (por isso digo que eles são o Heavy metal do século 21). Em 1986, eles gravaram duas músicas para um disco chamado "Deep Six", que tinha em sua play list outras bandas como Melvins, Skin Yard e Green River. Ainda em 1986, eles trocam de baterista: sai Scott (um cara mais sério, casado e com filhos) e entra Matt Cameron, que tocava no Skin Yard. No ano de 1987, o selo Sub Pop de Bruce Pavitt já era uma realidade, e o Soundgarden foi uma de suas primeiras aquisições. Assinaram contrato no verão desse mesmo ano.


Ainda em 1987, lançam o EP chamado "Screaming Life". Logo depois, já em 1988, eles lançam mais um EP chamado "Fopp". Mais tarde, em 1990, eles resolveram relançar os dois discos em apenas um, de nome "Fopp/Screaming Life". A banda já possuía prestígio no círculo underground americano, assim eles conseguiram a segunda assinatura com outro selo alternativo, o SST Records.

Bom, como eu estava falando, no ano de 1988, eles lançam o disco "Ultramega OK". É um excelente disco de estréia, que possui como destaque um cover de John Lennon, "One Minute of Silence". Ainda em 1988, eles trocam novamente de selo. A nova casa agora é a A&M Records, que já havia tentado contratá-los nos tempos de Sub-Pop. Seu primeiro disco por este selo é "Louder Than Love", lançado no começo de 1989 (ano em que eu nasci). O título original era "Louder Than Fuck", mas resolveram trocar o nome para evitar polêmicas. Logo depois desse lançamento, Yamamoto resolve deixar a banda para ingressar na Universidade. Jason Everman, que havia tocado com o Nirvana, vira o seu substituto.

Com Everman no baixo, a banda excursiona com o Voivod e o Faith No More. Só pra variar Everman não fica muito tempo, não durou no nirvana, não vai durar no Soundgarden, e em 1990 entra em seu lugar Ben Shepperd. Foi com essa formação que o Soudgarden entrou para a história do rock: Ben Shepperd (baixo), Chris Cornell (vocal), Kim Thayil (guitarra) e Matt Cameron (bateria).

Uma coisa que me faz cada vez gostar mais de escutar e admirar o rock é a amizade entre as bandas, diria que é mais que isso até. Respeito é a palavra certa. Mais ou menos no fim dos anos 90 (não sei direito), o vocalista do Mother Love Bone, Andy Wood, morre de overdose. Ele era muito amigo do povo do Soundgarden, e estes, ao lado de alguns integrantes do Pearl Jam, resolvem gravar algumas canções em homenagem ao seu falecido amigo. Esse projeto paralelo da tão certo que acaba rendendo um disco, e a banda fica conhecida como Temple of the Dog. O disco sai pela própria A&M Records, em 1991. E pasmem, é nesse disco que está o dueto mais foda que eu já escutei na vida de Chris Cornell e Eddie Vedder, a música se chama "Hunger Strike".

Em 91, a galera do Soundgarden volta ao estúdio, ao lado do produtor Terry Date, para a gravacão de um novo álbum. "Badmotorfinger", este que sai ainda em 1991. Com várias músicas tocando na MTV e nas rádios (entre elas: "Rusty Cage" e "Jesus Christ Pose") a banda começa a fazer sucesso para um publico maior, que não conhecia o quarteto de Seattle anteriormente. A banda fica tão famosa que começa a fazer turnês com o Guns ‘n Roses, Skid Row, Monster Magnet, Faith No More e com Neil Young, além de participar do festival anual Lollapalooza. O álbum "Badmotorfinger" digamos assim, foi o elo de ligação entre o “grunge metal” e o som comercial que imortalizaria a banda anos mais tarde.

Pra quem curte Soundgarden assim como eu, conseguiu notar que ela era uma daquelas bandas que evoluia a cada álbum. A tendência do grupo sempre havia sido um som cada vez mais experimental, e foi isso que aconteceu. Amém!

Em 1993, a banda grava mais um álbum em estúdio. Em 1994, é lançado "Superunknow". O disco possui vários hits, entre eles, a música "Black Hole Sun", que virou a música–símbolo da banda e um dos hinos do grunge metal. Esse disco rendeu vários prêmios para o grupo, que agora, sem sombra de dúvidas, era conhecido no mundo todo. O conjunto participa de várias turnês pelo mundo, tocando ao lado de nomes como Screaming Trees, Reverend Horton Head e You Am I. Algumas turnês pela Europa foram canceladas devido a um problema nas cordas vocais de Chris Cornell. Também, berrando daquele jeito até eu fico mal né?


Em 1996, a banda lança o disco "Down on the Upside", que é o mais chato e “enjuento” de todos, e talvez por isso não fez tanto sucesso quanto os outros. Faz parte, toda banda comete erros. Mas, entre os fãs mais ardorosos do grupo, foi tido como o melhor de todos até o momento. Mesmo não sendo tão acessível quanto os outros, possui alguns hits, entre eles, "Blow Up the Outside World", "Burden in My Hand" e "Pretty Noose". Mais uma longa turnê se iniciou, novamente tendo algumas paradas por causas dos problemas vocais de Chris.

Eu vou morrer acreditando que o último álbum foi uma despedida involuntária da banda, pois eles retratam como se sentiam depois da fama, sucesso e reconhecimento. A escada de gravadoras subida pela banda (desde Sub-Pop, selo alternativo de Seattle, até a A&M Records) comprova isso. Neste disco eles dispensaram os produtores e eles mesmos escolheram as músicas que entrariam no álbum. Talvez por isso esse seja considerado pelos fãs do Soundgarden o melhor álbum deles. O que é melhor do que algo feito pelos seus maiores ídolos?

Aos poucos, assim como quem não quer nada os integrantes da banda foram se envolvendo em outros projetos, e o fim da banda começou a tomar corpo. Em abril de 1997, a banda anuncia o seu fim. "They mutually decided to disband to pursue other interests" (tradução tosca e livre: "Eles [a banda] reciprocamente decidiram se separar para perseguir outros interesses"), dizia o comunicado oficial que a banda divulgou. Apesar de ser a versão oficial, houve boatos de brigas entre Ben e o resto da banda. Mas acho pouco provável...

O último lançamento da banda foi uma coletânea chamada "A-Sides" que reúne alguns de seus maiores sucessos ao longo de seus mais de 10 anos de carreira.

Os ex-integrantes do Soundgarden continuam com suas carreiras musicais. O Matt Cameron, por exemplo, está com o povo do Pearl Jam, enquanto Chris Cornell continua rasgando o vocal em bandas como Audioslave (que também acabou) e em sua carreira solo.

Esses dias (semana passada) escutei uns comentários de que Soundgarden ia retornar as suas atividades no festival SWU aqui no Brasil, mas não sei se é verdade.. Enquanto isso não acontece, só podemos torcer e esperar que realmente seja verdade.


Soundgarden como já disse antes foi uma banda inovadora, e por isso ganhou seu espaço na galeria da fama do Rock and Roll do Tri de 3.

Indique sua banda para a próxima sexta.. @felipebizzi


0 Reactions to this post

Add Comment

    Postar um comentário

    Seguinte!!

    Algumas dicas Básicas:

    * Discussões que não tem nada a Ver com o Post não serão aceitas

    * Por Favor, sem Xingamentos

    * Não peça Ajuda a Sua Mãe Para Comentar AQUI!!

    * Pra comentar é muito fácil. Basta escolher o perfil escrever o que quiser e enviar o comentário pra mim :) Simples né?

    Nota: Todos os comentários dessa postagem não refletem a opnião dos administradores. O sistema de comentários é uma forma de comunicação da equipe com os usuários.

    LEMBRANDO: VOCÊ PODE ME SEGUIR NO TWITTER CLICK AQUI

    Não me responsabilizo pelas coisas postadas aqui...

    Related Posts with Thumbnails