quinta-feira, agosto 20, 2009

vovó boa em Ragnarök

Maria Helena Magalhães Rocha brinca que vai entrar para o livro “Guinness” dos recordes como a jogadora mais velha de “Ragnarök”, um game on-line que reúne milhões de jogadores -- principalmente adolescentes -- em todo o mundo. Aos 60 anos, a dona de casa, mãe de cinco filhos e avó de seis netos vê o jogo como um ótimo passatempo e afirma que ele ajuda até a pegar no sono nas noites quando não consegue dormir.






Lançado em 2001 pela sul-coreana Gravity, o Ragnarök Online é um jogo baseado na mitologia nórdica e chegou oficialmente ao Brasil em 2004, trazido pela Level Up. O título se encaixa na categoria MMORPG (massively multiplayer on-line roling playing game), que permite a interação em tempo real, via internet, entre diversos jogadores. Cada personagem (avatar) do jogo representa uma pessoa em frente à tela do PC, que pode conversar com outros jogadores via chat e definir os rumos de sua história virtual.

Influenciada pelo filho mais novo, hoje com 29 anos, Maria Helena entrou nesse universo em 2004, assim que surgiu a alternativa em português, e desde então não parou. “Meu marido e meu filho não acreditam que eu ainda jogo. Não enjoei porque estou sempre mudando de mundos, não fico muito tempo parada lá dentro. A única coisa que cansa é a música, muito repetitiva, e por isso eu tiro o som. No dia em que enjoar de vez, vou parar”, conta.

Ela admite que já jogou bem mais: assim que conheceu o game, chegou a passar 11 horas conectada em um único dia. Hoje, a jogadora mergulha no universo virtual cinco vezes por semana, mas durante uma quantidade reduzida de horas. “Não é um vício. Se tiver outras coisas para fazer, dou prioridade a elas. Mas quando estou em casa, à toa, considero o ‘Ragnarök’ um bom passatempo.”

Moradora de Niterói, no Rio de Janeiro, ela disse nunca ter encontrado alguém de sua idade no jogo. Talvez por isso, enfrente desconfiança quando diz sua idade. “Poucos jogadores acreditam nos meus 60 anos. Já aconteceu também de os amigos de meus netos me procurarem on-line, para conferir se eu realmente sou uma avó que joga”, diverte-se.

Recompensas

A dedicação ao MMORPG teve muitas recompensas virtuais. No servidor oficial do Ragnarök Brasil, Maria Helena diz ter atingido seu objetivo: chegar ao nível 99, que representa o máximo da evolução, e renascer no jogo como aprendiz (para esta nova jornada, ela ganhou novos poderes e habilidades). Já no servidor alternativo Wodro, chegou ao topo do ranking entre os jogadores que mais conseguem abrir baús para coletar objetos.

Por conta do sucesso no Wodro, onde usava o apelido Very Evil Girl, Maria Helena afirma que teve de dar fim à personagem. “Assim que eu entrava, todo mundo vinha me pedir dicas. Ficou difícil jogar e, então, tive de criar outra bruxa”, diz ela, que não revela o nome de sua nova personagem no Wodro. “Se eu contar, vai começar tudo de novo.”

Além do servidor oficial no Brasil, da Level Up, a jogadora também está cadastrada em outros três servidores alternativos: cada um representa um único mundo, com suas próprias regras, rankings e premiações (virtuais, claro).

Aprender para ensinar

A jogadora começou a se interessar pelos games bem antes de mergulhar no universo de Ragnarök. Sua história como gamer teve início há alguns anos, quando concluiu que deveria aprender a jogar para ensinar os filhos mais novos: “os mais velhos não tinham paciência”, lembra.

Depois de colocar no currículo Odyssey, cartuchos de corrida e “Super Mario”, Maria Helena foi atraída pela quantidade de detalhes que apareciam na tela, quando o caçula entrava em “Ragnarök”. “Hoje já tem coisa muito mais avançada, mas naquela época os movimentos das plantas e das águas realmente me impressionaram. Sempre tive uma quedinha por games”, brinca a avó dos netos que preferem “Tíbia” a “Ragnarök”.

No universo virtual, ela gosta principalmente de completar as quests (eventos que dão prêmios) e também de colaborar com outros jogadores, entregando a eles itens importantes para completar as missões. A parte chata, conta, é quando não consegue ajudar e recebe insultos: “já me disseram para largar o jogo e ir procurar um tanque. Incomoda, chateia, mas depois passa. O que quero é me divertir.”

Receba mais atualizações grátis no seu email:

0 Reactions to this post

Add Comment

    Postar um comentário

    Seguinte!!

    Algumas dicas Básicas:

    * Discussões que não tem nada a Ver com o Post não serão aceitas

    * Por Favor, sem Xingamentos

    * Não peça Ajuda a Sua Mãe Para Comentar AQUI!!

    * Pra comentar é muito fácil. Basta escolher o perfil escrever o que quiser e enviar o comentário pra mim :) Simples né?

    Nota: Todos os comentários dessa postagem não refletem a opnião dos administradores. O sistema de comentários é uma forma de comunicação da equipe com os usuários.

    LEMBRANDO: VOCÊ PODE ME SEGUIR NO TWITTER CLICK AQUI

    Não me responsabilizo pelas coisas postadas aqui...

    Related Posts with Thumbnails